Que tipo de turismo quer?

Quer visitar locais muito conhecidos e cheios de turistas ou visitar zonas menos conhecidas onde terá paz e tranquilidade? É uma opção individual.

Ultimamente, fruto de uma explosão do crescimento do turismo, tenho lido e ouvido muitos comentários abordando os mais distintos pontos de vista sobre o impacto que o turismo tem na vida dos habitantes das localidades afectadas por este fenómeno.

Entre os mais díspares artigos, destaco os seguintes:

O povo cheira mal e os turistas são piores que moscas

Este é o nosso melhor momento e temos de o aproveitar

Turistas para todos os gostos, em todo o lado

Protesto anti-turistas invade praia de Barcelona

Caso tenham tido a paciência para ouvir/ler essas peças jornalísticas verão que tento perspectivar o assunto de vários ângulos.

Como profissional de turismo pergunto: Que turismo quer o(a) leitor(a)?

A minha pergunta não pretende me responda relativamente ao turismo que as outras pessoas querem. Essa resposta já a vamos tendo quando andamos em Lisboa, Porto, Barcelona, Paris ou outro local de destino turístico de massas.

A questão coloca-se à sua pessoa..

Com a facilitação do acesso a estes locais é óbvio que, se já eram amplamente visitados antes, passem a estar ainda mais frequentados. Vemos isso em Lisboa, Porto, Aveiro, Algarve em geral, etc etc.

Mas será que está todo o país a ser invadido?

Seguramente que não está. Nem o nosso país nem o do turista que aleatoriamente vemos na rua.

Este artigo começou a ser escrito após não ter conseguido encontrar nenhum restaurante aberto em Silva Escura, perto de Sever do Vouga. Aqui só há um restaurante e fecha à Segunda-feira para descanso do pessoal.

Felizmente, o Café O Nicho estava aberto e o sorridente e amável Sr António que já pensava em ir para a festa em Presas, ainda grelhou umas bifanas que ficaram fantásticas.

Como as bifanas demoravam uns cinco minutos a estar prontas, lá nos fomos entretendo com um bocadinho de queijo fabuloso.

Excelentes petiscos e ainda melhor conversa com o Sr António que me ficarão na memória.

Turistas não vi, porque éramos os únicos.

Estarei a comparar Silva Escura com Paris?

Porque não?

São mais numerosos os locais onde podemos usufruir de paz e tranquilidade do que aqueles onde há magotes de gente, é uma questão de opção.

Quando nos dirigimos para uma macieira para colher fruta é muito provável que esta árvore dê maçãs. Se queremos laranjas é melhor procurar noutra árvore.

Pois assim é com o turismo.

Que tipo de turismo quer?

Façam as vossas escolhas e vivam felizes.

David Monteiro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s